(62) 3216-5067 | (62) 3224-9099 | E-mail: comitedecidadaniabb@gmail.com

Blog do Comitê Cidadania BB

Notícias e Informativos, fotos e vídeos

Os vírus da dengue, chikungunya e zika: entenda transmissão e sintomas.

Os vírus da denguechikungunya e zika são transmitidos pelo mesmo vetor, o Aedes Aegypti. Têm sintomas parecidos,  como febre e dores musculares. Zika e dengue são do gênero Flavivirus. Já o chikungunya, é do gênero Alphavirus.

As doenças têm gravidades diferentes:

A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina, dores musculares, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.

O chikungunya caracteriza-se, principalmente, pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses, e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras.

Já a febre pelo vírus da zika leva a sintomas que se limitam a, no máximo, 7 dias. Apesar de os sintomas serem mais leves que os da dengue e chikungunya, a relação do vírus com a microcefalia e a possível ligação com a síndrome de Guillain-Barré tem trazido preocupação.

O Aedes aegypti pode transmitir mais de uma doença ao mesmo tempo?

Segundo estudos conduzidos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é possível que um mosquito transmita dengue e chikungunya ao mesmo tempo a um paciente. Ainda não há estudos, porém, que avaliem a possibilidade de o vírus da zika ser transmitido simultaneamente aos outros dois vírus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está monitorando a situação do vírus da zika?
A Organização Mundial de Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde emitiram um alerta mundial sobre a epidemia do vírus da zika. Segundo a OMS, somente neste ano foram confirmados casos de zika em nove países das Américas. Brasil, Chile – na ilha de Páscoa -, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Suriname e Venezuela.

Quando o zika foi identificado pela primeira vez?
O vírus foi identificado pela primeira vez em 1947 em um macaco Rhesus,  na floresta Zika, da Uganda. No Brasil, ele foi identificado pela primeira vez em abril de 2015.

 

Deixar resposta